fbpx

Hex Tunnel

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Um jogo onde você deve atravessar sete estágios, construídos na forma de hexágono, devendo superar os obstáculos para ser o “mestre dos elementos e se tornar o ser supremo”, assim você deverá atingir o final de cada túnel, para ultrapassar os estágios e chegar ao objetivo final do jogo.
D2923E20 BE5D 4A30 A13D B5994CECDC5D

O desenvolvedor escolheu, estranhamente, que não seja usado, nem os controles move e nem o dualshock 4, aqui você apenas irá olhar e mover o próprio capacete de realidade virtual para indicar a direção que irá tomar, lembrando que qualquer colisão fará você reiniciar o estágio.
287E0A17 0D5B 4F48 A1AF FEB5B36548BC

Os obstáculos se apresentam de duas formas para atrapalhar seu percurso: ou são estáticos e funcionam como parte integrante do túnel e são como barreiras para atrapalhar sua jornada ou se apresentam como obstáculos móveis e se movimentam em todas as direções, sendo eles a maior preocupação do jogador, pois são difíceis de prever para onde estão indo.

São cinco estágios iniciais que representam os cinco elementos sendo eles: fogo, gelo, água, terra e ar, eis porque você caso os supere, se tornará o “mestre dos elementos” e dois estágios extras que são o “chaos” que é uma mistura dos estágios dos cinco elementos e “ultra” que seria algo semelhante a um modo acelerado, um modo de super velocidade.

Ter controles tão simplórios como o movimento apenas do capacete do VR já é desestimulante por si só para tornar o jogo pouco interessante, porém a quantidade mínima de estágios faz o jogo ser, além de muito simplório na jogabilidade, muito curto em sua execução.

Quanto aos recursos visuais do jogo, são muito simples com obstáculos em forma de triângulos, círculos e quadrados, podendo o desenvolvedor ter um capricho maior em adicionar variedade para não tornar o jogo mais monótono do que ele já é, além do fato de que faltou polimento na execução do trajeto, tornando ele uma das piores experiências em termos visuais do VR, não apenas pela simplicidade, mas pela forma pouco polida em que os gráficos se apresentam, merecendo uma nota 4,0 no aspecto visual.

Quanto a questão do gameplay, a forma simples em que se apresentam, não aproveitando nem as funcionalidades dos controles move ou do dualshock 4, a forma em que os obstáculos se apresentam permitindo em alguns estágios o jogador ficar fixo em algum canto e desviar de todos eles faz com que esta falta de criatividade para entreter o jogador com a jogabilidade apresentada faça o jogo merecer uma nota 4,0 no aspecto do gameplay.

Por fim, um enredo raso, de mundo pós-apocalíptico, onde o jogador deve superar os obstáculos para se tornar o mestre dos elementos e Ser supremo para moldar a construção de um novo mundo é muito batido, mas quando você insere esse tipo de enredo num ambiente como o apresentado pelo jogo, pouco crível, até por vezes, preguiçoso, faz com que o jogador queira apenas acabar o jogo, pouco se importando com a história, por isso, pelo enredo apresentado em conexão com o mundo oferecido pelo desenvolvedor, o jogo merece nota 4,0 no aspecto do enredo.

Nota final 4,0